Quando vires os teus olhos a verem-te, quando não souberes se tu és tu ou se o teu reflexo no espelho és tu, quando não conseguires distinguir-te de ti, olha para o fundo dessa pessoa que és e imagina o que aconteceria se todos soubessem aquilo que só tu sabes sobre ti.

José Luis Peixoto

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

De 2009

De 2009:

Houve Braga. Os nossos napolitanos. o BragaParque. caminhadas. jantares. aprendi a CABer. dei sangue. resolvi parte da minha história. contei anedotas pela net. aprendi a deixar ir. S.João.
Houve a 1ª Lisboa. conferências. 3Bs. bairro alto e bbc. bolos de madrugada e comboios esgotados.
Houve a Covilhã. carnaval. maio. tgb. (re)encontros. confusão de sentimentos.
Decisão da partida. despedidas de Braga. Verão. piscina e mais covilhã. precisei de dar e que me dessem a mão. Ericeira. primeiros encontros. o nosso gelado. cafés. praia e mar.
Descobri (sem contar) mais um sorriso que me aquece o coração (mesmo ao longe).
Houve a 2ª Lisboa. bairro alto. jantar. e partir.
Houve Itália. casa nova. querer voltar. multa. grey. partilhas à distância. Roma, Veneza e sky e escalada. festas. pessoas novas outras que estão sempre comigo. saudades. voltar. bairro alto. sintra. tiramisú. árvore de natal. itália. primeiras despedidas (talvez para sempre). e agora aqui... quase de novo lá.

E tudo isto fez de 2009 O ano. Vocês fizeram O ano. Obrigada!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Brilho (com)sentido #6



Sofá. A fazer tempo.

Que lhe vais dar Digues?

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Felicidade

Não se compra num centro comercial. Vai-se conquistando.
Destes dias. os pastéis de nata. o Starbucks. tiramisú aldrabado. cantores no autocarro e no avião. muito mimo. golden grahams hiper-doces. matar saudades. surpresas que não chegaram a ser. vin brulé. fotos. muitas fotos. dormir no aeroporto. corridas no metro. Bolhão. Chiado. doces da Covilhã. torradas e chocolate quente. Principalmente, sermos e estarmos. Felizes.

Porque em Lisboa é ainda mais feliz quem já é feliz.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Brilho (com)sentido #5


Cama minúscula. cobertor feio. sem cores.
Saltas da tua para a minha.
Fica grande. colorida. capaz de guardar conversas e recordações. Capaz de me dar exactamente o brilho com(sentido) que precisava...

[não saberia não te ter]

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Hoje apetece-me o 7º direito


Há dias em que me apetece um gelado. Há dias em que me apetece dormir. Há dias em que me apetece ver Grey. Há dias em que me apetece ir às compras.
Hoje.
Hoje só me apeteciam as nossas torradinhas molhadas em leite quente. Apeteciam-me os miminhos da mãe Dulce. As parvoíces dos morangos. Apetecia-me fazer desenhos com a Constantina. Não saber que roupa vestir para ir passear e fugir dos morcegos que se colam ao cabelo.

Hoje só me apetecia contigo no 7º direito...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Sempre nossa

Saudade...
Tão unicamente nossa. Certeza de ser partilhada.

[Longe ou perto. sempre a nossa Latada]

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Dás-me mais cor


O cinzento pode tomar conta do dia. querer apagar as cores. a luz.
tu vens. mostras-me o teu Sorriso... e elas voltam! Simples assim...


Não podes estar ao pé de mim...
Estás em mim. É mais perto!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Brilho (com)sentido #4

[Quando procuramos olhar apenas para a nossa paisagem, vemos que esta seria um deserto se não soprassem nela ventos de partilha e rios de confiança]


Tardio nas horas mas não no tempo que o devia acontecer. Partilhei!
E ficaste feliz por mim (nunca deixarás de ser a favor das histórias que merecem ser contadas). E eu feliz por isso. À distância dei-te ventos de partilha e recebi rios de sorrisos. E o dia acabou com mais brilho...

Deste-me mais brilho com(sentido)!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O melhor Sol do mundo

Porque, do nada, a chuva e frio dão lugar ao maior e melhor Sol do mundo. Aquele que aquece o coração!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Final Call


E foi mesmo preciso uma Final Call.
Desta vez, como em muitas outras, o coraçãozinho pedia para ficar...
Destas férias (e de todo o ano), os momentos marcaram, foram bons, felizes. Deixaram saudade! Ficam as fotos, as memórias, os momentos, sentimentos, palavras e recordações. Para sempre!

E, no regresso, nada disso se irá perder...

[Seremos cúmplices o resto da vida]

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Cativa-me

"- Quem és tu? - perguntou o principezinho - És bem bonita...

- Sou uma raposa - disse a raposa.

- Anda brincar comigo - pediu-lhe o principezinho - Estou tão triste...

- Não posso ir brincar contigo- disse a raposa- Ainda ninguém me cativou...

- AH! Então, desculpa! - disse o principezinho.

Mas pôs-se a pensar, a pensar, e acabou por perguntar.

- "Cativar" quer dizer o quê?

- Vê-se logo que não és de cá - disse a raposa - de que andas tu à procura?

- Ando à procura dos homens - disse o principezinho. - "Cativar" quer dizer o quê?

- É uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. - Quer dizer "Criar laços"...

- Criar laços?

- Sim, laços - disse a raposa. - Ora vê, por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...

Estás a ver aqueles campos de trigo ali adiante?

Eu não gosto de pão e, por isso, o trigo não me serve para nada. Os campos de trigo não me fazem lembrar nada. E é uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da côr do ouro. Então, quando tu me tiveres cativado, vai ser maravilhoso! O trigo é dourado e há-de fazer-me lembrar de ti. E hei-de gostar do som do vento a bater no trigo...

A raposa calou-se e ficou a olhar para o principezinho durante muito tempo.

- Se fazes favor... Cativa-me! - acabou finalmente por pedir.

- Eu bem gostava - respondeu o principezinho, - mas não tenho muito tempo - tenho amigos para descobrir e uma data de coisas para conhecer...

- Só conhecemos o que cativamos - disse a raposa - Os homens deixaram de ter tempo para conhecer o que quer que seja. Compram as coisas já feitas aos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens deixaram de ter amigos. Se queres um amigo, cativa-me!

- E tenho de fazer o quê? - disse o principezinho.

- Tens de ter muita paciência. Primeiro, sentas-te longe de mim, assim, na relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal entendidos. Mas podes-te sentar cada dia um bocadinho mais perto...

O principezinho voltou no dia seguinte.

- Era melhor teres vindo à mesma hora - disse a raposa.

- Por exemplo, se vieres às quatro horas, às três, já eu começo a estar feliz - E quanto mais perto fica da hora, mais feliz me sinto. Às quatro em ponto hei-de estar toda agitada e toda inquieta: fico a conhecer o preço da felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca vou saber a que horas hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo, a pô-lo bonito...

(...) O principezinho foi ver as rosas outra vez.

- Vocês não são nada parecidas com a minha rosa. Vocês ainda não são nada. Não há ninguém cativado por vocês e vocês não estão cativadas por ninguém. Vocês são como a minha raposa era. Era uma raposa perfeitamente igual a outras cem mil raposas. Mas eu tornei-a minha amiga e, agora, ela é única no mundo.

As rosas ficaram bastante incomodadas. - Vocês são bonitas, mas vazias – ainda lhes disse o principezinho. Não se pode morrer por vocês. Para uma pessoa qualquer, a minha rosa é perfeitamente igual a vocês. Mas, sozinha, vale mais do que vocês todas juntas, porque foi a ela que eu reguei. Porque foi a ela que eu pus debaixo de uma redoma. Porque foi a ela que eu abriguei com o biombo. Porque foi a ela que eu matei as lagartas (menos duas ou três, por causa das borboletas). Porque foi a ela que eu ouvi queixar-se, gabar-se e, até às vezes, calar-se. Porque ela é a minha rosa.

E então voltou para o pé da raposa e disse: - Adeus…

- Adeus – disse a raposa. Vou contar-te o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos...

O essencial é invisível aos olhos – repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer.

Foi o tempo que perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... - repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer.

Os homens já se esqueceram desta verdade – disse a raposa. Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável por todo o sempre por aquilo que cativaste. Tu és responsável pela tua rosa...

- Sou responsável pela minha rosa... - repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer."

domingo, 16 de agosto de 2009

Sorrisos

E há sorrisos assim... Que aquecem o coração!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Brilho (com)sentido #3

[Jardim do Lago - Covilhã]

Desta noite.... Destes dias...
Como sempre, ao chegar, o quentinho no coração e o sorriso na alma!
À pressa, o tempo passou... A alegria, os risos, a felicidade, esses não têm pressa... E ficam sempre!

Ao voltar, fica mais um bocado de mim. Um bocado vosso em mim! Dão-me mais brilho com(sentido)...

domingo, 2 de agosto de 2009

Brilho (com)sentido #2

Obrigada Mário! Foto Daqui

A maioria das pessoas não gosta de andar de autocarro, muito tempo. Eu adoro. Dá-me tempo e paz para pensar e sentir o que me faz falta. Dá-me mais brilho (com)sentido...

Porque hoje
(Só pedia hoje...). Precisava(s) tanto de te ter comigo...

[E bastava poder dar-te a mão]

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Naturalmente...


Há pessoas assim! Com quem, natural e espontaneamente, nos damos bem.
E têm surgido assim na minha vida... De um momento para o outro. Outras, já estão nela há muito muito tempo. Algumas têm vindo a aparecer, a revelar-se... A ficar!
Sei que para sempre é muito tempo. Mas é este tempo todo que quero que continuem comigo... Porque, Naturalmente, rimos, falamos, saimos, brincamos e desabafamos. Passando a ser história em nós!


Não sabemos nada do que somos nós.
Mas sabemos tanto do que muda por não estarmos sós.

Abraça-me bem, Mafalda Veiga

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Brilho (com)sentido #1

Na praia. Bem... a olhar para ela. Contemplar!

E sentir que a vida me tem corrido bem...

sábado, 18 de julho de 2009

Férias com despedidas


Sim, só agora de férias... De forma mais que oficial!

Destes dias... Os risos, as conversas, as "sapatarias de olhos verdes" (vocês percebem marmotas com borboto, e obrigo-vos a comentar!!!), os vestidos, vernizes, Favaios... Fizeram-me bem!

As despedidas, apesar de tudo, também! Do autocarro, do toalhete, das escadas, do Balboa, da montalegrense.

A despedida de nós naquele lugar, naquele tempo... Mas Só e Apenas disso!

[Porque nós, nós continuamos...]

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Há gente que fica na história da história da gente

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudade
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
Da história da gente
E outras de quem nem o nome
Lembramos ouvir

São emoções que dão vida
À saudade que trago

Chuva, Mariza

E, em tão curta vida, já tenho muitas lembranças. Das que doem, Mas ainda mais das que fazem sorrir.
Hoje foi dia de lembrar muitas delas. As de infância. Que estão sempre. E que, para elas, também estou sempre! São das muitas que ficam na minha história...


Bom de (re)Viver!

sábado, 11 de julho de 2009

[Foto de Olhares]

Devo ligar ou não?


quarta-feira, 8 de julho de 2009

Já cabes na mala


Não se conheciam antes. Até que pediram o mesmo café.


Dia marcado por "mini"-gestos, "mini-ofertas" e mega-sensações.
De surpresa. E gostei. Gostamos!

Com toda a certeza que te vou levar comigo. Até porque... Já cabes na mala!

Grazzie. Daqueles mesmo sentidos!

domingo, 5 de julho de 2009


E não fossem mensagens e conversas durante a madrugada...

=D

Obrigada, oh (des)complicado!

sábado, 4 de julho de 2009

Querer o que não devo

[Imagem retirada de O porquê do roxo]


Porque há coisas que nunca deviam mudar. Esta minha mania de querer tar sp bem com quem (talvez) não devesse sequer estar. Quanto mais bem...

[Para a próxima dou-te mais ouvidos, acerca do interesse das pessoas]


sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dias maus assim...


E não é que há dias que correm mesmo mesmo MESMO mal!!!
O que me safa são músicas assim que me deixam logo bem-disposta... Uffaaaa

quinta-feira, 2 de julho de 2009

De partida... Quase!


E a distância do quase são 2 meses.
A partida já se foi fazendo e preparando. Agora, ganha um novo rumo. Uma nova realidade.
Acompanhá-la é fácil [Re]Toques de noz. Vivê-la será ainda melhor.





segunda-feira, 29 de junho de 2009

Saber receber

[Não é melhor quem dá com generosidade do que quem recebe com alegria!]


Gosto de receber. Quem não gosta? Acho, no entanto, que também é preciso saber receber, agradecer. Para voltar a receber. Por isso tento sempre fazê-lo de braços abertos. Dar e receber. Agradecendo.

Tenho vindo a dar muito e a receber ainda mais. Gosto disso! Mensagens, fotos, palavras, confiança, amizade e alegria. E isso vale muito mais que tudo o resto.


segunda-feira, 22 de junho de 2009

Peter Pan


Ultimamente tenho andado confusa com a minha idade... Acho sempre que sou +nova do que realmente sou. Chamo a isto sindrome do Peter Pan... querer ficar sempre criança...
Em criança não há preocupações a não ser arranjar tempo para brincar. Há alegria e felicidade genuína e inocente. Mas também não há os sentimentos que existem agora em mim. O saber ter com quem contar sempre, a liberdade e responsabilidade, o ser independente e crescida.

Se não soubesse que idade tenho, acho que teria exactamente esta idade. 21!
Porque hoje me sinto simplesmente feliz com aquilo que ganhei até agora. Com o que vivo. Com o que sou. Com quem tenho comigo e com aquilo que fazemos...

[E vocês que idade teriam?]


quinta-feira, 11 de junho de 2009

Um dia

Hoje já não é o dia. Foi! Muitas vezes. E ainda bem =D
Muitas vezes disse: um dia... Faço. Digo. Sinto. Peço. Agradeço.
E, agora, sinto. Já fiz. Já disse. Já pedi. Já agradeci.

Mas sinto sempre que ainda tenho muito para pedir. Sentir. Dizer. Viver!

Um dia...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Be brave


[Só porque gosto do vídeo]

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Às vezes penso não o ser. Não para tudo. Mas para algo que talvez tenha de ser.

Faz um esforço. E do sacrifício tirarás um grande proveito. Mas às vezes custa mesmo...

sábado, 30 de maio de 2009

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sorrir

Foto de Olhares

Há uns dias li:
"Todos os dias, Deus dá-nos um motivo para sorrir, para parar e sentir o momento feliz do dia. Porque todos os dias temos uma razão para sorrir. Para agradecer e simplesmente SORRIR. Só não sorri todos os dias quem não pára e sente. Por isso, para sorrir basta querer."

Não podia concordar mais.
Todos os dias tenho parado. E sentido. Sorrindo. Seja por um minuto ou por uma hora. O importante é sorrir.
Sorrir ao saber haver mais uma criança no mundo. Sorrir ao ouvir o Mraz nas alturas (para vocês meninas). Sorrir ao ouvir "Tás bem aninha?". Sorrir ao partilhar e ao saber ter com quem partilhar. Sorrir!


Apaga com um sorriso, toda a tristeza que te invade a alma.
Assim não darás aos que te odeiam a alegria de te ver a chorar, mas darás aos que te amam a alegria de te ver sorrir

terça-feira, 26 de maio de 2009


Qual a distância certa: tão perto que possa intervir ou tão longe que não seja magoada?


Quero estar perto. Sentir. Mas estar perto também dói.
Longe. Indiferente. Mas ao longe passa ao lado. E o pouco de bom torna-se nada...


quinta-feira, 21 de maio de 2009

Amar antes de conhecer

" Ama antes de conhecer"

Ouvi. E fiquei a pensar.
Porquê amar antes de conhecer? Porque, quando se conhece já não se quer amar? E, como é tão bom amar, não se pode conhecer antes, para não correr o risco de não amar depois?

Não sei se de forma inconsciente ou não, eu amo e só depois conheço. E como amar passa muito por dar, eu dou de mim mesmo antes de saber que irei receber. E dou. Dou, quando sei que tenho do outro lado quem quer receber.

Sim, é melhor amar antes de conhecer...

domingo, 17 de maio de 2009

[Confused! All mixed up here inside]

sexta-feira, 15 de maio de 2009

O que devia ter feito ontem



Dado o primeiro passo.
Ou pelo menos não recuar quando o deram.
Sorry!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Infância

Quem não se lembra das mesas pequeninas da escola primária. Aqueles leites chocolatados que nunca mais encontramos igual. Os pães com manteiga super-esmagados. As corridas no recreio. E os ditados e cópias em cadernos de duas linhas.

Hoje tive com uma turma de 4ºano e tudo isso me veio à memória. O cheiro característico das escolas primárias. As funcionárias que estão sempre lá para nos cuidar da dor de barriga. As mochilas nas costas das cadeiras. O lanche preparado de manhã pelas mães. "O José é namorado da Marta! E a tua namorada quem é? Eu não tenho!".

Até tive direito a um beijinho de cada menino =D

"São apenas coisas simples que a infância eterniza"

domingo, 3 de maio de 2009

Até era capaz de me habituar

Até era capaz de me habituar. A uma vida na grande Lisboa. Ao Bairro Alto. Às viagens de metro. Ao mau-humor matinal do Pouco. Aos jantares. Ao quarto desarrumado. Ao dormir em conjunto. Às cartadas. Às piadinhas do David. Coffee-breaks. Táxis. Fotos. Parque das Nações. Vasco da Gama. Guest list para discotecas. Conversas pela noite dentro. Fotos à Lekita.
Aventuras no metro. A busca do Marquês. A vista da casa do Pedro. Conversas com a Freskinha. Visitas nocturnas relâmpago a tudo (Luz e Alvalade, Zoo, Basílica, Parlamento…). Jogo de preencher quadrados com números. Fugas com a Di ao subchefe dos Bs. Fotos no WC. Almoços semi-profissionais. Nigas. Storms. Robinhas.

Muito obrigada pelos momentos. Por estarem e serem! Por fazerem valer a pena as decisões que tomamos. Mostrando a importância do que vivemos para trás e revivemos sempre.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dei de mim


Hoje foi um dia importante. Contribui para a doação de sangue e de medula.
Quase meio litro de sangue!
Receio no inicio... Um pequeno orgulhinho no fim. Por ter a oportunidade de ajudar. Por dar de mim, uma parte. Acho que fez deste um dia melhor.
Um pequeno gesto que mudou o dia. O meu dia. A vida de alguém!

sábado, 18 de abril de 2009

Hoje resolvi

E assim, do inesperado. Resolvi!
Sem pensar muito, sem dramas nem recalcamentos. Com um sorriso na cara e uma enorme confiança no eu.
Quando cheguei vi que a decisão tomada há quase 1ano foi a mais acertada. E essa certeza foi-se acentuando... Sobretudo, crescemos! Durante um tempo os dois. E depois sozinhos.
Gostei do que senti. De sentir em mim o perdão e o reconhecimento. Apesar de tudo.
Resta-me continuar a fazer crescer este sentimento e agradecer a quem, mesmo sem saber, me fez tomar esta decisão. (D., Z., F., A., e mts outros)


Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar para aprender a viver
E a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
prá receber daquilo que aumenta o coração

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Fiquei

Queria ir... Não pude... E então fiquei!

Foram mensagens, sentimentos, emoções. Mas as saudades ficaram. Como ficam sempre. E é tão bom saber senti-las e entendê-las, pois elas só existem porque algo de bom aconteceu.

Não foi só isso que ficou. Ficou também a curiosidade e o receio. Do que não aconteceu, do que quero que aconteça, do que tenho medo de acontecer. Descobri sentimentos em mim que não sabia haver. Gostei! Acho que acabei de descobrir e entender o dia que foi o de ontem...

Se na ausência a saudade aperta...
É nas recordações do passado
Que a alegria inunda a alma
Fazendo de cada momento passado
Tão único...
Tão verdadeiro...
Tão nosso!

Grazie mille, bambina. Por estares sempre cá! =D

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Viagens com um final feliz!


Hoje acordei. E senti. Sorri!

Aquela sensação de alegria no coração. Porque sim.

O dia começou bem, com um aconchego que aprendi a receber, e tão bom... E, só depois, começa o verdadeiro dia... Chuva, atrasos, erros no autocarro, vergonha, e mais erros no autocarro. E foi aí que este espaço nasceu, no simples acto de atravessar uma passadeira. Foi crescendo e ganhou forma.

Hoje queria e precisava do meu silêncio, da minha reflexão, do meu momento comigo. Fui procurá-la num cantinho onde sei CABer mas estava fechado. Mais um mau acontecimento do dia. E quando vou ao multibanco vejo "Viagens com um final feliz". Aí vi o verdadeiro sentido deste dia, que correu tão mal mas que não me fez perder o sorriso parvinho na cara e aquele quentinho no coração.


O dia acabou e eu senti. E SORRI!